O papel da liturgia na santificação das almas

O papel da liturgia na santificação das almas

O papel da liturgia na santificação das almas

O texto “O papel da liturgia na santificação das almas”  foi, originalmente, publicado pela Gaudium Press.

E é um tópico que devemos meditar, afinal, qual é esse papel santificante da liturgia na vida dos fiéis? O que a liturgia causa, diretamente, na vida dos fiéis?

O carnaval está ai. Em breve a Quaresma nos conduzirá na preparação para a Páscoa, passando pela Semana Santa. A liturgia terá suas modificações com objetivos definidos e próprios a cada uma das cerimônias religiosas que se desenrolarão.

Neste período, na unidade litúrgica, brilhará a variedade de suas expressões: nada será feito por acaso e a liturgia cumprirá seu papel. Qual é esse papel?

Publicamos alguns aportes que Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP oferece sobre esse assunto:

A liturgia torna possível exercer uma ação mais profunda nas almas, não só levando-as a participar mais ativamente nos sagrados mistérios, mas também abrindo para elas, através da beleza dos rituais, a via pulchritudinis, por excelência.

Além da beleza que lhe é própria, a liturgia realiza por seu simbolismo e essência, e do modo mais esplendoroso possível, a sacralização das realidades temporais, em que se devem empenhar todos os fiéis. Na Celebração Eucarística, é o Céu que se liga à Terra, o espiritual ao temporal. É Cristo, ao mesmo tempo o arquétipo do gênero humano e o Filho de Deus, que se oferece ao Pai, para interceder por seus irmãos.

É próprio à natureza humana tender a imitar aquilo que admira, e nisso consiste a melhor forma de aprendizado. Não se poderá negar que uma liturgia celebrada com a devida compenetração e manifestando toda a beleza que lhe é inerente há de ter uma ação benéfica sobre os fiéis, moldando a fundo sua mentalidade e levando-os a imitarem em alguma medida o ritual presenciado.

Essa transposição do cerimonial não se cifra numa reprodução de gestos, mas em projetar para a vida temporal o ambiente de sacralidade presenciado nos atos litúrgicos. O pai ou a mãe que assistem a uma celebração esplendorosa, repetirão instintivamente no dia a dia, no “ritual” da igreja doméstica, o cerimonial da Igreja. Dar a bênção aos filhos, por exemplo, é uma forma de fazer presente o espírito católico na realidade temporal da família.

———

DIAS, João Scognamiglio Clá

In Considerações sobre a gênese e o desenvolvimento do movimento dos Arautos do Evangelho e seu enquadramento jurídico, 2008. Tese de Mestrado em Direito Canônico – Pontifício Instituto de Direito Canônico do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...