Resenha do livro “Introdução ao Espírito da Liturgia”

espirito da Liturgia

Capa da edição portuguesa do livro “Introdução ao espírito da Liturgia”

Por Carlos Aguiar Gomes

Provincial da Militia Sanctae Mariae

 

Ando a reler, desde que surgiu a Academia de Estudos Litúrgicos “S. Gregório Magno”, uma das obras mais significativas escritas sobre Liturgia, dos finais do século XX e cuja edição, em Portugal, data de Fevereiro de 2001.Estou a referir-me a “Introdução ao Espírito da Liturgia“, do, então, Cardeal Joseph Ratzinger., depois Bento XVI. E ando a reler com o máximo proveito. Ao terminar o Prefácio que escreveu para este livro, o autor , afirma :

”… não me detenho em discussões científicas ou investigações; antes quero ajudar a fazer compreender a fé e a contribuir para uma execução correcta da sua essencial forma de expressão dentro da Liturgia.”

O Cardeal Ratzinger, usando uma linguagem de grande humildade, não se arvora em Mestre, que o era, mas num simples carreador de contributos para ajudar e contribuir para uma correcta vivência da Liturgia e , consequentemente, como:

“estímulo para um “Movimento Litúrgico” diferente, um movimento para a execução correcta da Liturgia…”

Todos sabemos o quanto o Cardeal Ratzinger, já Papa Bento XVI ,se esforçou para que se concretizasse o seu desejo expresso neste livro, dando ele próprio o exemplo nas celebrações a que presidia, perante a indiferença de muitos!

Liturgia de Bento XVI, papa emérito

Voltando ao livro em apreço, o autor, com o espírito lógico arrumado e com a sua imensa sabedoria, divide este trabalho em quatro grandes temas: ”Sobre a Natureza da Liturgia”; ”Tempo e Espaço na Liturgia”; “ Liturgia e Arte” e, finalmente, como que coroando a sua obra, o tema “A Configuração da Liturgia“. E como seria expectável , o Cardeal Ratzinger, começa com duas perguntas-base, de onde parte todo seu trabalho: “O que é, no fundo, a Liturgia? O que acontece nela?”. Perguntas que muito poucos cristãos fazem e de que a maioria, provavelmente, ignora as respostas. Talvez mesmo, muitos Sacerdotes tenham algumas dúvidas…

A partir destas duas questões, o Cardeal Ratzinger vai desenvolvendo, com profundidade, o que é, de facto, a Liturgia, o que celebra e como se deveria celebrar e com que finalidade, isto é, para quem celebra. Sem conhecermos estas respostas, a Liturgia corre muitos sérios riscos de se desvirtuar:

“Ou pior: ela significa o abandono de Deus verdadeiro, disfarçado debaixo de um tampo sacro. Mas, assim, o que resta no fim é a frustração, a sensação de vazio.” ( l.c. pág. 16, da ed. Portuguesa – Ed. Paulinas, Lisboa, 2001).

Neste magnífico trabalho de Joseph Ratzinger, que urge divulgar e (re)ler, os mais importantes aspectos da acção litúrgica, nomeadamente da celebração da Santa Missa, são contextualizados e para os que se perderam em nome de uma dita criatividade balofa, surge a sugestão veemente para a sua rápida recuperação. Recuperação não em nome de um saudosismo cristalizador, mas de não deixar perder o sentido do essencial, sem o qual “a Liturgia se torna em mera brincadeira“ .

A “Introdução ao Espírito da Liturgia” do Cardeal Ratzinger, um verdadeiro mestre espiritual, nesta obra, abre-nos os olhos do coração, através de inúmeras visibilidades da Liturgia, para a contemplação do mistério de um Deus que se fez Homem, se imolou por nós e conosco permanece para sempre “tão real e perfeitamente como está no Céu” e que por nós tem de ser adorado em “espírito e verdade”. Que o livro em referência, seja para todos nós, um empurrão decisivo para vivermos a Sagrada Liturgia como louvor perene em que Deus seja, de facto , o centro e o ápice!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...